terça-feira, março 22, 2005

Uma Atitude Prepotente

Meus Amigos,

Fui um dos muitos maduros que aderiram desde o início ao projecto Fnac em Portugal. Gosto do espaço, gosto do conceito e encontro a maior parte das vezes competência nas abordagens feitas.

Não estou de acordo com o que estão a fazer neste momento, com os aderentes, e por isso uso esta plataforma para fazer uma acusação.

Direcção Marketing Serviço Cliente

A/T Exma Srª Marianne Willot

Exma Senhora,

Venho por este modo mostrar o meu desagrado pela recente atitude da Fnac, para com os seus aderentes e clientes.

Chamo-me António XXXXXX e tenho desde sempre um cartão aderente com o número XXX.YYY.ZZZZ. Aderi desde o primeiro dia e mantive-me fiel ao vosso conceito.

A Fnac foi, até há pouco tempo, a minha loja preferencial para livros discos e mesmo algum material electrónico. Poderá, caso deseje, confirmar que gastava por mês, uma quantia substancial nas vossas lojas de Matosinhos e de Lisboa.

A minha adesão, deu-se porque sempre achei o conceito interessante e como cliente poderia benificiar de pequenos mimos que a Fnac oferece aos seus aderentes. Nunca utilizei o cartão para crédito.

Surpreende-me, que após alguns anos convosco tenha recebido uma carta de uma entidade de crédito, ou de incentivo ao consumo, declarando que passava a ter um novo cartão (nº XXXX.YYYY.TTT.7999) com crédito associado e que tinha de assinar uma ordem de transferência permanente, em branco, em nome da dita instituição de crédito.

Primeira surpresa, eu não conheço esta entidade, nem a contactei ou pedi seja o que for. Segunda surpresa, dão-me um crédito que eu não pedi. Terceira surpresa, exigem a minha assinatura numa transferência permanente, em seu nome e sem qualquer quantia associada.

Contactado o número que os impressos anunciavam, deram-me a informação que esta instituição era a detentora dos cartões Fnac e as regras, agora , eram estas. Sem qualquer alternativa disseram-me que ou assinava ou deixava de ter acesso ao cartão Fnac.

A minha revolta, está exactamente aqui. Eu sou (era) aderente do cartão Fnac, não do cartão, Não sei o quê crédito lda, . Os senhores, pura e simplesmente escorraçaram os vossos fieis clientes para uma entidade com a qual nenhum de nós tem qualquer ligação. O meu interesse na Fnac são os bens culturais, o desta entidade apenas e só o meu dinheiro.

Não encontro nenhuma legitimidade nesta actuação, já que os senhores, pura e simplesmente não criaram nenhuma alternativa. Esqueceram-se que muitos de nós não utilizam o crédito ou qualquer das vantagens a que este associado.

Sinto-me injustiçado e direi até um pouco ludibriado por uma entidade como a Fnac, que recordando a sua genesis, não esperava viesse a ter um enquadramento deste tipo.

Lavro aqui o meu protesto e, caso não criem alternativas é com pena minha que deixarei de comprar seja o que for nas lojas Fnac, incentivando os meus amigos a fazerem o mesmo.

Despeço-me enviando cordiais cumprimentos,

De V. Exas

Atentamente

Esta foi a carta enviada. Espero resposta, até lá mantenho o meu protesto. Façam o mesmo.


|