quarta-feira, novembro 10, 2004

Loja de Porcelanas

O que fazia um elefante
na tua loja de porcelanas
sei que não me vais dizer

foi por ele que tu me trocaste
e eu nunca soube porquê
nem nunca virei a saber

às vezes a beleza dói
quando o olhar reflecte
o que o coração inventou

O que fazia um elefante
na tua loja de porcelanas
sei que não me vais dizer

entrou e saiu pela frente
deixou tudo em pantanas
e tu voltaste a sofrer

e quando o ideal cai
tudo aquilo que promete
nunca acontece

Carlos Tê, Kazoo

1 Comments:

Blogger martelo said...

e se calhar o elefante era de uma loja dos trezentos...

11/24/2004 5:51 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home

|