quarta-feira, dezembro 15, 2004

H2OMEM

A gota caiu na poça
A poça caiu na lagoa
A lagoa caiu no mar
e aqui se fez
a pessoa

A pessoa caiu na outra
A outra caiu na outra
A gota caiu na gota
E o mar se fez
da garoa*

Agá dois homem
pra dentro da boca da boca da boca do rio
Correndo escorrendo pra dentro do copo vazio
e do copo cheio transbordando, embalando o navio
chovendo, jorrando, enxurrando, enchendo o cantil

Agá dois homem
pra beber e tomar banho
Agá dois homem
pra nadar e fazer sopa
Agá dois homem
Pra molhar a plantação

Contra a cabeça pedra
Contra a cabeça ferro
Contra a certeza inquestionável

Agá dois homem
Pra lavar a roupa suja
Agá dois homem
pra furar a pedra dura
Agá dois homem
pra chover sobre o sertão

* Garoa - espécie de neblina que paira sobre S. Paulo (um parente do "fog" Londrino)

Arnaldo Antunes, Lustro

2 Comments:

Blogger Fernando B. said...

Não conhecia este Poema, nem o autor. Obrigado.

Um Abraço,

12/18/2004 12:15 da manhã  
Blogger óssóbó said...

apesar de tudo há coisas boas neste mundo

12/27/2004 9:07 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home

|