sábado, fevereiro 26, 2005

Million Dollar Baby

Na passada quinta-feira fui ver o filme que dá o título a este post.

Não sabia nada sobre o filme, nem sequer o tema, por isso apanhou-me desprevenido e foi uma agradável surpresa. Inicialmente fui ver este filme porque contracenavam dois monstros sagrados da 7.ª Arte: Clint Eastwood e Morgan Freeman e uma actriz que irá muito longe no cinema, Hilary Swank. Quando saí fiquei consciente que os filmes valem muito para lá dos actores, mesmo que estes sejam óptimos.

Confesso que não era grande fã de Clint Eastwood, enquanto jovem actor, mas com o amadurecimento começou a desempenhar papeis mais criteriosos. Comecei a admirar Clint Eastwood, como realizador logo no seu primeiro filme o Imperdoável. Este é um daqueles filmes intemporais e que consigo ver e rever. O Imperdoável é um daqueles filmes imperdíveis.

O que mais me surpreendeu no Million Dollar Baby foi que, com toda a simplicidade, mas sem simplismo, o filme nos pôs a pensar em assuntos tão sérios e tão complexos como o preconceito, a força de vontade, o oportunismo, a maldade, a bondade, as relações inter-pessoais, a contradição, a honestidade, o racismo, a marginalização, o amor, a vida, a morte e evidentemente a eutanásia.

Este vai ser também um filme a rever e que aconselho a todos.

Mo Cuishle!

3 Comments:

Blogger Mariana Pereira da Costa said...

Esperemos que ganhe qualquer coisa nos Óscares.

2/27/2005 4:59 da tarde  
Blogger Musca said...

Eu ainda não o vi, mas constou-me que é um filme visualmente simples, mas cheio de consistência; com personagens muito trabalhadas e com um perfil psicológico sólido.
Mas eu estou amuada com o Clint Eastwood. Estou a espera que ele me ligue a pedir desculpas antes de ir ver o Million Dollar Baby :)

3/02/2005 4:15 da tarde  
Anonymous Pedro Santos said...

Parece ser mais um bom produto desta fase co Clint Eastwood.

3/02/2005 11:15 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home

|