sábado, setembro 17, 2005

Hoje Acordei Assim

A Cultura é uma chatice. Põe-nos a pensar.

|


sexta-feira, setembro 16, 2005

Links

Estranho título para este post. Não, não é a palavra inglesa que utilizamos com frequência em informática e particularmente na net. Links é uma palavra alemã que significa esquerda.

De facto poucos serão os portugueses que sabem o seu significado, do mesmo modo poucos serão também os que sabem o significado de esquerda.

José Socrates no início do seu mandato de Primeiro-Ministro proferiu solenemente num discurso na Assembleia da República, que o país não poderia suportar por mais tempo que os ricos pagassem menos impostos do que os pobres e que para isso era preciso tonar medidas corajosas para combater a fraude e evasão fiscal, com medidas como o levantamento do sigilo bancário, medida há muito tempo reclamada pela esquerda, incluindo o partido que apoia Sócrates. Ora alguns meses depois o mesmo Sócrates e o mesmo partido vêm negar esta evidência e dar o dito por não dito.

O levantamento ao sigilo bancário não é nenhuma medida exclusiva da esquerda, pois muitos países Europeus e mesmo os Estados Unidos, a usam com sucesso para combater a fraude e evasão fiscal. Também não é nenhuma medidaa que sirva para um qualquer reality show televisivo ou para gáudio de imprensa de mexericos portuguesa.

Na minha profissão (ensino) vejo com frequência pessoas com evidentes sinais exteriores de riqueza a receber subsídios do Estado para terem os seus filhos a estudar e muitas vezes outros que até poderiam, ou deveriam, necessitar desses mesmos subsídios a não usufruirem de um único cêntimo do Estado.

Digam lá se não devemos ter o direito à indignação e à revolta contra este estado de coisas. Como diria o nosso saudoso Salgueiro Maia, temos o Estado de dDireita, o Estado de esquerda e o estado a que isto chegou...

O país está entregue à demagogia quer com os actuais como com os anteriores governantes as palavras valem conforme as circunstâncias e as ambições e demagogia política de cada um, isto é, não valem nada.

Poucos saberiam que links, em alemão, significa esquerda, como muitos também parecem continuar a não compreender o significado político da palavra esquerda, provavelmente não só os portugueses.

|


segunda-feira, setembro 12, 2005

Não Percebo!

Por um lado, diz-se que o Presidente da República não tem poder nenhum. Por outro, critica-se o PR por fazer isto ou não fazer aquilo.

Por um lado, diz-se que o Presidente da República não tem poder nenhum. Por outro, em tempo de autárquicas, só se fala das eleições presidenciais.

Por um lado, diz-se que o Presidente da República não tem poder nenhum. Por outro, morre-se de medo da eleição de Cavaco Silva e receia-se a senilidade de Mário Soares.

Não percebo!

Só percebo a candidatura do Garcia Pereira. Ao menos consegue aparecer na televisão e mandar umas bocas!

|


quinta-feira, setembro 08, 2005

Queres porrada???




Anda lá, Lisboa!
Queres porrada?
Deixa-me só acabar de arregaçar as mangas!
Vou-me a ti e desfaço-te em menos de quatro anos!
A ti e aos teus amigos!
Quantos são?
Anda cá, anda, que eu aliso-te as colinas!

|


domingo, setembro 04, 2005

Perguntas a Katrina

Quem diria que o país mais poderoso do mundo revelaria tanta fragilidade perante um cataclismo natural perfeitamente estudado, acompanhado e vigiado até ao pormenor?

Quem imaginaria que o país mais rico do mundo revelaria à saciedade a pobreza e miséria que grassa no seu seio?

Quem se atreveria a dizer que as imagens que temos vistos tem a sua origem na superpotência mundial e não num qualquer país do terceiro mundo?

Quem duvida que a riqueza está mal distribuída?

Quem é que não assinou o protocolo de Kyoto?

Quem vai continuar a esperar sentado pela resolução dos problemas?

|


sábado, setembro 03, 2005

Azar ter Nascido

Como é habitual todas as manhãs vou tomar um cafezinho a uma bomba de gasolina perto da minha casa e aproveito para lançar os olhos aos jornais e revistas que estão expostos mesmo em fente ao lugar onde tomo o meu café.

Um destes dias contava um jornal de referência dos mexericos da nossa praça, mais concretamente o "24 Horas", que tinha havida um desaguisado entre "actores" da novela "Morangos com Açucar". Um dos actores, ou intervenientes, não cheguei a perceber porque só li a capa, tinha acusado outro de atitudes racistas.

No dia seguinte na mesma primeira página do mesmo "órgão" de comunicação social e igualmente na primeira página, o acusado defende-se "inteligentemente" diga-se, que não é racista, o outro é que tinha tido o azar de ter nascido preto.

Fiquei estupefacto, ou talvez não, com tanta estupidez e admirado como é que a vulgaridade é notícia de primeira página de um órgão de informação, cujos profissionais podem ser tudo menos jornalistas.

O racismo é um fenómeno que, por vergonha, poucos admitem, sem contudo se aperceberem que nas suas mais banais atitudes o preconceito e a discriminação vem facilmente à tona de água. É certo que o racismo não é exclusivo dos brancos, é certo que discriminar positivamente é também uma atitude racista é, sobretudo mais que certo que ser anti-racista não passa por afirmá-lo, mas sim por sê-lo efectivamente em todas as atitudes.

O racismo é tão estúpido , pois se qualquer pessoa sabe que não vai marginalizar A ou B por usar um relógio de uma determinada marca, por medir mais ou menos do que 1,80 m, por usar sapatos altos, ou sapatos rasos, por ver telenovelas ou gostar de futebol, etc., porque é que se há-de discriminar por ter a pele branca, preta, amarela ou vermelha?

Para quem foi buscar ao baú das frases feitas da estupidez humana tal argumentação só me resta afirmar no mesmo sentido e utilizando uma frase simples e curta que possa ser facilmente assimilada por alguém cuja inteligência deve ter ficado no útero da mãe: azar ter nascido meu caro "actor".

|


sexta-feira, setembro 02, 2005

O Animal Politico ?

Uma primeira saudação ao mentor deste Blog. Seja benvindo.

Mário Soares, goste-se ou não do seu trajecto politico (a mim só me interessa analizar este aspecto, já que o pessoal diz respeito aos seus próximos), tem demonstrado uma apetência invulgar para o desafio político. Mais que uma tarefa ou missão, o que estimula Soares, é a sua imposição como mentor de toda uma corrente politica. Para o conseguir não olha a meios, sejam eles quais forem. Meteu o socialisno na gaveta para conseguir o apoio do FMI, criou a UGT para debelar o perigo comunista nos trabalhadores, pelo caminho trucidou antigos camaradas como Sotto Mayor Cardia e Salgado Zenha. Durante a sua ascenção no panorama politico português ( e assumamos internacional) fez amigos tão variados como o Carlucci (chefe da CIA nos tempo quentes) e Araft (OLP ) inimigos como Fidel e Bush e teve aproximações idilicas a Freitas do Amaral e ao Bloco de Esquerda. Este homem é um verdadeiro 2 em 1.

Reflitamos em algumas coisas:

1.O PS tem neste momento diversos problemas a resolver. Mas um só propósito-ganhar o máximo de lugares com poder. Não importando para isso quem tem de apoiar. Logo que ganhe, É candidato. Exemplos como a Camara de Lisboa demonstram bem isto.

2. O Sócrates não é nem nunca foi um defensor do romantismo politico do Manuel Alegre, foi aliás um adversário na corrida interna para Secretário Geral. Ao romantismo sobrepôs-se o pragmatismo tecnocrático.

3. Inteligente, Socrates soube chamar um politico em alta ( Freitas do Amaral) para dar um ar de competência e indepêndencia. Criou um problema Freitas é um politico com ambições e curriculum . Vejam-se as suas intervenções antes da sua entrada no governo e os seus posteriores comentários.

4. Socrates estava com diversos problemas, encontrou uma solução. Mário Soares.

Abafa Manuel Alegre com o argumento que a sua candidatura era pouco abrangente. Como se o PR tivesse de ser uma especie de Rei.

Adia Freitas que não quer afrontar o partido que lhe deu o poder e assim correr o risco de perder tudo.

Cria uma especie de consenso á volta de uma figura que resurge, qual D. Sebastião, das brumas.

Para mim, o que me cria uma certa impressão nos neurónios não a constatação dos factos atrás descritos, mas a completa ausência de alternativas nos diversos quadrantes politicos da sociedade portuguesa. Porra é triste ver que após 30 anos de democracia o melhor que temos é o Mario Soares e o Cavaco, quais velhos dos marretas.

Uma coisa este dois têm em comum, secaram completamente o aparecimento de alternativas nos seus quadrantes de intervenção. Vai ser necessário o desaparecimento destes dois para que se atrevam a aparecer outros figurões a dizer Presente.

Por mim estou noutra, voto no vocalista dos Ená Pá 2000.

|